bsop.br

Quando a BMW lançou o primeiro modelo da Série 3 há quase 40 anos, era difícil imaginar que a receita poderia ser tão bem-sucedida. Afinal, em apenas oito anos o carro vendeu 1,4 milhão de unidades. Hoje, porém, é praticamente inimaginável que um automóvel com aquela configuração (sedã de 2 portas) faça sucesso. Imagine alguém querendo se acomodar na traseira do carro tendo de dobrar o banco dianteiro para poder entrar. Só quem tem saudade do velho Fusca pode pensar em algo similar.

Hoje, porém, existem mais variações da Série 3, incluindo uma um pouco maior da recém-criada Série 4. Mas é preciso medir com uma fita métrica para se certificar. Apenas o “olhômetro” pode dar a impressão de que são modelos similares no tamanho. O 428i Gran Coupé exibe algumas semelhanças com o 328i GT e com o sedã. Mas, por conta de seu teto mais baixo, bitolas mais largas e janelas estreitas, ele quer conquistar os fãs da Série 3 pelo bolso. Afinal, equipado com motor e câmbio idênticos, o Gran Coupé custa apenas 3.000 euros a mais e ainda conta com faróis de xenônio, banco traseiro rebatível e tampa traseira com acionamento elétrico. Além disso, o carro oferece uma capacidade de carga de 480 litros, o que o 328i GT só consegue acomodar rebatendo-se o banco de trás. E a área para bagagens do Série 4 ainda pode chegar a 1.300 litros.

Por um valor adicional, é possível adquirir bancos traseiros rebatíveis, que permitem não só ampliar, como aproveitar melhor o espaço disponível no porta-malas. E por falar em valores, a BMW, ao que parece, decidiu economizar no que for possível, como mostra a forração simplória, em vez do carpete habitual e, principalmente, o acabamento sem verniz na parte interna da tampa do porta-malas. Para quem se habituou com o padrão da marca, é decepcionante. O acesso também poderia ser mais fácil, principalmente ao banco traseiro. O teto baixo obriga os adultos a abaixarem a cabeça ao entrar. Para completar, faltam alças sobre as portas para os ocupantes se apoiarem.

Mais que diferenças visuais
É hora, então, de analisar o Gran Turismo. O visual, convenhamos, não é exatamente o seu ponto forte, mas os 11 cm a mais na distância entre-eixos em relação aos outros dois concorrentes proporciona espaço muito bem-vindo para as pernas de quem viaja atrás. Além disso, o encosto dos bancos traseiros pode ser ajustado na inclinação, proporcionando não apenas mais conforto aos passageiros como um melhor aproveitamento do porta-malas. De quebra, o bagageiro ainda conta com uma prática bandeja sob o piso, ideal para acomodar objetos menores.

Ao volante, embora cada modelo apresente características distintas, os números de avaliação acabaram sendo bastante próximos. Assim, depender dos dados de consumo de combustível ou de desempenho para decidir entre um deles não é tarefa das mais simples.

A aceleração de 0 a 100 km/h, por exemplo, varia de 6s2 a 6s5, assim como o consumo de gasolina registrado no teste (entre 10,2 km/l e 10,5 km/l). O Série 3 GT, com seu porte maior e suspensão mais macia mostrou-se mais confortável, mesmo trafegando sobre pisos irregulares. Em compensação, ele tende a rolar mais nas curvas e durante as manobras de desvio de trajetória (lane-change), e o ESP entrou em ação diversas vezes. Além disso, nele foi possível perceber um incômodo ruído causado pelo vento em velocidades mais altas, e o carro apresentou as maiores distâncias de frenagem, resultado, provavelmente, do seu maior peso (1.696 kg).

O Gran Coupé, por sua vez, se mostrou mais fácil de controlar, embora deixe um pouco a desejar ao se trafegar por trechos com asfalto irregular. O problema é que ele não empolga, apresentando uma condução apenas correta, sem brilho.

E o sedã? Bem, se você puder, recomendo equipá-lo com o pacote M Sport, que inclui rodas de 18” ou 19”, kit aerodinâmico e outros detalhes que conferem um aspecto ainda mais atraente ao modelo. A partir daí, basta acelerar o ótimo motor 2.0 turbo de 245 cv e desfrutar do câmbio automático de 8 marchas. Ao lado do Gran Turismo e do Gran Coupé, bem que este Série 3 também mereceria um Gran no nome. Que tal Gran Fun?

Supremacia da razão
Na ponta do lápis e em uma escolha 100% racional, o vencedor deste embate é o Série 3 Gran Turismo, graças ao seu melhor compromisso entre conforto e desempenho, além do ótimo espaço oferecido — tanto para os ocupantes quanto para a bagagem.

Já aqueles que podem abdicar da prática tampa traseira, mas não abrem mão de uma alternativa requintada e confortável, têm no Série 4 Gran Coupé uma alternativa interessante. Ele é mais caro, mas entrega um nível de acabamento superior. E seu visual também agrada.

Para os “puristas”, contudo, a alma esportiva do Série 3 Sedan ainda fala mais alto. O desempenho e o comportamento dinâmico do três-volumes clássico consegue animar qualquer um, e isso o fez capaz de arrebatar a segunda posição neste comparativo, apesar do espaço limitado na traseira. Um resultado justo.

1) BMW 328i Grand Turismo: 399 pontos

Pontos positivos: versatilidade, conforto ao rodar, praticidade

Sejamos sinceros: ele não tem o desenho mais harmonioso e muito menos encantador dos modelos BMW mais recentes. Mas essa não é a maior preocupação do Série 3 Gran Turismo. Com sua prática tampa traseira, que abre como a de um modelo familiar, proporcionando facilidade para carregar o porta-malas com objetos maiores, o carro dá um show de praticidade. Sem falar no amplo espaço interno, bem mais amplo que o dos concorrentes por conta, principalmente, da distância entre-eixos 11 cm maior. O melhor é que, mesmo assim, o GT não faz feio na comparação com os demais em termos de desempenho.

Na aceleração de 0 a 100 km/h, por exemplo, ele foi apenas 0s3 mais lento que o sedã e 0s1 em relação ao 428i Gran Cupê. Outro aspecto no qual o Gran Turismo mereceu elogios foi no comportamento de sua suspensão com o carro vazio. Apesar de se tratar de um automóvel com perfil mais familiar, ele se saiu muito bem, conciliando conforto com segurança, sem comprometer a estabilidade, mesmo rodando sobre trechos de asfalto irregular. Assim, por sua versatilidade, conforto ao rodar, espaço interno e praticidade, o BMW 328i Gran Turismo mereceu a primeira colocação neste comparativo.

2) BMW 328i: 395 pontos

Pontos positivos: desempenho, dirigibilidade

Se este comparativo indicasse pontos extras para os quesitos dirigibilidade, desempenho ou esportividade, o sedã certamente teria vencido. Afinal, o carro é uma das referências mundiais nesses aspectos e não foi diferente aqui. O “azar” da versão três-volumes é que os clientes têm outras necessidades, além de terem prazer ao dirigir. Por conta disso, o espaço limitado para os ocupantes do banco traseiro, assim como o porta-malas de 480 litros (que tem boa capacidade, mas não pode ser ampliado) acabaram prejudicando o seu resultado final na comparação com os dois concorrentes. Mesmo assim, o 328i é um vice-campeão de respeito.

3) BMW 428i Grand Coupé: 391 pontos

Pontos positivos: estilo, conforto, espaço no banco traseiro

 Ao contrário do Série 3 GT, o 428i Gran Coupé parece muito mais bem resolvido esteticamente, com seu estilo discreto e elegante. Além dissso, mesmo sem contar com a distância entre-eixos do GT, ele consegue acomodar melhor os passageiros de trás do que o seu “primo” 328i Sedan. Pena que, por esse equilíbrio, este Série 4 seja mais caro que os seus rivais. É difícil imaginar que o modelo sirva para atrair novos clientes para a marca, mas sim como um upgrade para quem já possui um BMW.

O carro controlado por meio do celular
Já tivemos a oportunidade de avaliar o sistema de infoentretenimento dos BMW Série 3 várias vezes, mas nunca havíamos analisado o aplicativo My BMW, que permite controlar algumas funções do veículo de maneira remota, por meio do smartphone. Quem não se recorda onde estacionou o carro, por exemplo, pode encontrá-lo facilmente pelo Google Maps, além de bloquear ou destravar as portas. Em grandes estacionamentos, pode-se acionar as luzes ou a buzina, facilitando a localização do automóvel. Como se não bastasse, ainda é possível acionar a ventilação e/ou o aquecimento interno.
Para dispor do sistema, é necessário que o veículo possua um sistema de áudio específico ou o navegador incorporado. Já o aplicativo pode ser adquirido gratuitamente nas lojas on-line da Apple (iPhone) ou do Google (Android). Nosso teste foi feito com dois aparelhos: um iPhone 5S e um Samsung Galaxy S5. Os comandos responderam de maneira satisfatória, mas dependem de uma boa cobertura de telefonia, o que pode complicar a tarefa de encontrar o carro em uma garagem subterrânea, por exemplo. Além disso, a impressão é de que o aplicativo ainda pode ser bem mais desenvolvido. Funções como informar o nível de combustível ou do óleo do motor, autonomia e se o teto solar está aberto ou fechado, por exemplo, não estão disponíveis.

Conclusão
Uma boa ideia, mas ainda com poucas funções. Quem está numa cidade diferente e esquece em qual rua estacionou o carro certamente vai agradecer a criação do aplicativo My BMW. Mas, para ampliar o interesse por parte do consumidor, a BMW deve investir em mais funções para o sistema.

Ficha técnica BMW 328i M Sport Pack:

Motor disposição/número de válvulas: 6 cil. em linha, turbo, diant. gas.
Cilindrada (cm³): 1.997
Potência (cv): 245 a 5.000 rpm
Torque (mkgf): 35,7 a 1.250 rpm
Câmbio: Automático, 8 marchas
Suspensão (dianteira/traseira): Indep./multibraço
Peso vazio/cap. máx. de carga (kg): 1.555/450
Dimensões em mm (comp./larg./altura): 4.624/1.811/1.429
Entre-eixos (mm): 2.810
Diâmetro de giro (m) (esq./dir.): 11,4/11,4
Porta-malas (litros): 480
Peso rebocável (kg) (sem freio): 745
Tanque de combustível (litros): 60
Pneus (veículo testado): 225/45 R18 / 255/40 R18

Ficha técnica BMW 328i Grand Turismo Sport Line

Motor disposição/número de válvulas: 6 cil. em linha, turbo, diant. gas.
Cilindrada (cm³): 1.997
Potência (cv): 245 a 5.000 rpm
Torque (mkgf): 35,7 a 1.250 rpm
Câmbio: Automático, 8 marchas
Suspensão (dianteira/traseira): Indep./multibraço
Peso vazio/cap. máx. de carga (kg): 1.696/469
Dimensões em mm (comp./larg./altura): 4.824/1.828/1.508
Entre-eixos (mm): 2.920
Diâmetro de giro (m) (esq./dir.): 11,4/11,6
Porta-malas (litros): 520/1.600
Peso rebocável (kg) (sem freio): 745
Tanque de combustível (litros): 60
Pneus (veículo testado): 225/50 R18 / 225/50 R18

Ficha técnica BMW 428i Grand Coupé

Motor disposição/número de válvulas: 6 cil. em linha, turbo, diant. gas.
Cilindrada (cm³): 1.997
Potência (cv): 245 a 5.000 rpm
Torque (mkgf): 35,7 a 1.250 rpm
Câmbio: Automático, 8 marchas
Suspensão (dianteira/traseira): Indep./multibraço
Peso vazio/cap. máx. de carga (kg): 1.627/463
Dimensões em mm (comp./larg./altura): 4.638/1.825/1.404
Entre-eixos (mm): 2.810
Diâmetro de giro (m) (esq./dir.): 11,5/11,4
Porta-malas (litros): 480/1.300
Peso rebocável (kg) (sem freio): 745
Tanque de combustível (litros): 60
Pneus (veículo testado): 225/40 R19 / 255/35 R19

Share This
bsop.br Mapa do site